sábado, 25 de abril de 2015

Carta


Olá.


Não te escrevo a perguntar se está tudo bem contigo, porque ambos sabemos essa resposta. Escrevo-te antes para que saibas muitas coisas que te poderão ser úteis no futuro. Sabes, é que apesar de ires achar que não precisas saber o teu futuro e que és tu quem o faz, terás bem no fundo uma curiosidade em saber como são as coisas, como estão, que caminhos podes tomar ou não. Eu sei que um dia vais perceber tudo isto e muito mais. Não quero que penses, nem por um mísero segundo, que isto te facilita a vida, porque é mentira. Vais ter de continuar a fazer por ti e vais ter, acima de tudo, de saber esperar pela hora certa, porque por um segundo se ganha, por um segundo se perde.

Lembro-me de ti e de tudo o que fizeste. Penso em ti muito mais que umas horas por dia. Não sei, é como se estivesses dentro da minha cabeça desde que me lembro de ter memória. Lembro-me dos dias em que saltavas pelo Benfica, como adoravas aquela t-shirt não oficial, mas que mostrava o teu orgulho. De idolatrares o Rui Costa e da forma como aprendeste a ver e a jogar como jogava o João Pinto. Tinhas tanto talento para alguém tão novo. Acredita em mim, tu mexias-te como ninguém e a bola era uma constante da tua vida. Nunca quiseste saber de peluches, gostavas de carros, mas a tua paixão era redonda e só te servia para uma coisa: jogar à bola. Quiseste entrar para uma equipa de futebol e lá foste todo contente. Previam um futuro enorme, mas tu caíste. Levantaste-te, voltaste à luta, conquistaste muito. Depois relegaram-te para segundo plano. Voltaste a lutar, mas desta vez levaram-te de vencido e decidiste mudar. Foi a tua melhor escolha, porque voltaste a ter tudo nos teus pés. Deste tempo e começaram a engolir o facto de te terem perdido no antigo lugar. E sempre foi assim por onde passaste. Quando partias, algo se perdia e todos te temiam. Hoje olhas para ti e não te sentes realizado. A culpa é tua, sabes porquê? Porque falhaste uma vez e isso influenciou-te.

Lembro-me dos dias em que gastavas fitas de cassetes de música. Era o "Nevermind" de Nirvana que te fazia saltar do chão e cantar. Tinhas uma voz com muito potencial. Não a estragues. E se tiveres de escolher entre o futebol e a música, tenta conciliar os dois. Naquele que tiveres de vingar, acredita em mim, vais vingar. Mas lembro-me de quando soubeste da morte do teu cantor favorito...olhaste para as estrelas e pediste que elas o guardassem. Foi o teu primeiro desejo. Vais pedir muitos e acreditar que as estrelas são tuas confidentes e amigas. Umas vezes sim, outras vezes não. Mas na maioria das vezes, acredita que serão a tua maior força.


Quando tiveste Internet, gostava de te ter dito "Usa-a com sabedoria. Não te percas num mundo onde todos querem ser perfeitos". Porque tu perdeste-te. Tu descobriste coisas incríveis, mas deixaste que te controlassem. Acredita que depois da tua primeira namorada, nenhuma outra te vai fazer bem. Vão dizer-te que és o único, mas é tudo mentiras. Uma delas vai roubar-te o teu brilho, vai fazer de ti um farrapo, vai tornar-te numa pessoa diferente. Tu eras alegre genuinamente, agora és só um excelente actor. Não queiras isso. Tu vais andar de rastos, vais sentir-te uma nódoa, vais pensar que o mundo se virou contra ti. Não miúdo, o mundo está do teu lado. Só não devias ter deixado que te dessem tanta chapada. Mas tem orgulho em ti. Tornaste-te mais forte e nunca deixaste os teus valores para trás. A culpa é tua, sabes porquê? Porque tu deslumbraste-te com algo virtual e com alguém que fingiu existir. Aceita a ajuda. Já viste como a tua falha influenciou tudo em ti?

Eu sei que tens a Música como uma paixão. Foi a melhor coisa que algo tão negativo te deu. Devias praticar todos os dias, tentar ser melhor. Eu sei que consegues. Se falhares, a culpa é tua. Queres falhar outra vez? Acho que não. Assim como na escola, falhaste quando não devias. Falhaste de forma que nem sequer te reconhecia. Felizmente, tiveste uma nova chance e espero, genuinamente, que tenhas a maior sorte do mundo. A rádio é apelativa para ti, não é? Faz por conquistá-la miúdo!


Como vês, tenho boa memória e lembro-me dos teus sorrisos todos. A parte boa de algo mau, foi teres encontrado alguém que faz sentido para ti. Só tenho pena de uma coisa; tenho pena que não lhe tenhas dado o que querias dar e acredita que eu sei que tu não descansarias enquanto não lhe desses o maior sorriso que alguma vez uma pessoa daria a outra. Peço-te que pares de sentir esse ódio por ti próprio. Tu podes ter falhado, mas não te odeies porque tu tornaste-te naquilo que muitos sonhavam ser. O teu problema é que os teus sonhos, de quando eras pequeno, não se estão a realizar. Ainda vais a tempo de alguns e sei que tens capacidades para o conseguir, por isso, vai! Parte para a luta! Sei que há alguém que mexe contigo. Não é o mesmo que aquilo que já sentiste, mas mexe o suficiente para pensares que talvez dê certo. Tem cuidado rapaz. O facto de estares uma pessoa que não consegue sentir qualquer emoção vai-te acabar por ser positivo, mas o vazio que tens vai-te fazer sentir incapaz do que quer que seja. Sei quem ela é e digo-te já que é alguém que vale muito a pena. Espero que consigas, apesar de tu não acreditares muito nisso. Talvez seja melhor assim. Pelo menos, não te iludes e não vais abaixo. Mantém-te forte, principalmente nos teus pensamentos. Não deixes que o negativismo se apodere de ti todos os dias. Tu vais conseguir quebrar isso. Eu acredito em ti.


Esta carta já vai longa, mas tinha de te dizer umas coisas. Quando a leres, vais sentir um arrepio na espinha e pensar como foi possível eu ter escrito isto. Foi simples; saiu-me do coração. Porque eu preocupo-me contigo e quero o teu bem. Quero-te ver a sorrir novamente. Quero ver-te sem esse ódio.

Não espero uma resposta de volta. Atitudes chegam-me. É por isso que peço para te focares somente nisso.

Fica bem Luis. Se não nos voltarmos a encontrar, que seja por teres tudo o que sempre sonhaste. Nada é mais importante para mim que a tua felicidade.


Sem comentários:

Enviar um comentário